Google+ Followers

terça-feira, 14 de abril de 2009

A Fabula dos Curriculos





Uma vez, os bichos preocupados com a complexidade da vida, resolveram copiar os homens, organizando uma "Escola" que melhor pudesse prepara-los para enfrentar os problemas de existência.
Acompanhando idéia educacionais em voga, optaram por um currículo téorico-prático, constando , em essência das seguintes disciplinas: Corrida, Escalada, Natação e Vôo.
Com o intuíto de facilitar a execução do plano, atendendo simultaneamente a um maior número de alunos, ficou resolvido que quem se matriculasse da "Escola" , estudaria todas as materias do curso.
O Cisne, nadador exímio, mostrou-se desde logo, melhor que o professor. Consegui
notas razoáveis em vôo, mas revelou-se aluno muito fraco em corrida.
Coitado... quase sempre tinha que ficar depois do horário para treinar corrida. Por
isso, teve até que reduzir as horas que dedicava a natação , atividade tão do seu agrado! Na verdade, o que conseguiu mesmo foi ficar com as patas esfoladas.
Por causa disso, até seu humor se modificou: vivia emburrado. Talvez, por esse motivo, quando chegou a época do exame final, estava tão cansado, que
até em natação obteve nota regular.
Alás, nessa altura, era visível que os alunos não mais se preocupavam com o aproveitamento escolar ou real aprendizagem das matérias. O importante era garantir uma média final que desse para passar, e ganhar o certificado.
O Coelho por exemplo , sempre fora o melhor de todos em corrida, pois treinava diariamente. Mas ficava atrapalhado e nervoso nas aulas de natação.
O Gato, de saída, superou todos os colegas do curso em escalada , mas acabou por indispor-se com o professor, pois preferia adotar processos próprios de subida, inventados por ele e muito eficazes até, mas que nem sempre coincidiam com os ensinamentos recebidos. Acabou tachado de aluno-problema no curso de vôo, pois o professor insistia em que ele alçasse vôo do solo, enquanto o Gato sustentava que só conseguia "voar" baixando do topo das árvores até o chão.
No fim do curso, um pato tranquilo, assíduo, diligente, pouco amável, que nadava bem, voava sofrivelmente, e atravessava gingando o gramado, numa imitação de corrida, alcançou a média maiss elevada do grupo.
No dia da formatura, o pato seria o orador. Porém, a festa foi triste ... O grupo alegre dos primeiros dias não parecia o mesmo. Estava bem menor. Muitos haviam desistido no meio do caminho ; outros haviam sido reprovados . Quase todos estavam cansados, e alguns revelaram grande desânimo e pessimismo quanto ao futuro.



(desconheço a autoria)

Nenhum comentário: