Google+ Followers

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Mercadores de Veneza

No século 13, muitos mercadores venezianos estabeleceram-se em Constantinopla, atual Istambul, e fizeram fortuna ali. Entre eles estavam Niccolò e Maffeo Polo, pai e tio de Marco Polo. Por volta de 1260, venderam sua propriedade na região, investiram em jóias e viajaram para a capital do cantão ocidental do Império Mongol, Sarai, no rio Volga. Foram bem-sucedidos nos negócios e duplicaram seus recursos. Visto que estavam impedidos de voltar a Constantinopla por causa da guerra, rumaram para o leste, provavelmente a cavalo, para a grande cidade comercial de Bukhara, agora no Usbequistão.

A agitação os deteve ali por três anos, até que emissários enviados para ver Kublai — o Grande Khan de todos os mongóis, cujo domínio estendia-se desde a Coréia até a Polônia — passaram por Bukhara. Os emissários convidaram Niccolò e Maffeo para os acompanharem, visto que, conforme relatou Marco Polo, o Grande Khan nunca tinha visto um “latino” — provavelmente querendo dizer alguém do sul da Europa — e iria ficar contente de falar com eles. A jornada de um ano levou-os até a corte de Kublai Khan, neto de Gêngis Khan, fundador do Império Mongol.

O Grande Khan acolheu bem os irmãos Polo e fez muitas perguntas sobre o Ocidente. Ele lhes deu uma tabuinha de ouro — um salvo-conduto — para o retorno e confiou-lhes uma carta pedindo que o papa enviasse “cem homens sábios, entendidos na lei de Cristo e familiarizados com as sete artes para pregar ao povo [de Kublai]”.

Nesse meio tempo, nascia Marco Polo. Ele tinha 15 anos de idade quando viu o pai pela primeira vez, em 1269. De volta aos domínios “cristãos”, Niccolò e Maffeo souberam que o papa Clemente IV havia morrido. Eles aguardaram um sucessor, mas esse interregno (intervalo) de três anos foi o maior na História. Após dois anos, em 1271 retornaram ao Grande Khan levando com eles Marco, de 17 anos de idade.

Nenhum comentário: