Google+ Followers

quinta-feira, 23 de abril de 2009

A felicidade no perdao

Salmo.31

Feliz aquele cuja iniquidade foi perdoada,
cujo pecado foi absolvido.
Feliz o homem a quem o Senhor não argui de falta,
e em cujo coração não há dolo.

Enquanto me conservei calado, mirraram-se-me os ossos,
entre contínuos gemidos.
Pois dia e noite, vossa mão pesava sobre mim;
esgotavam-se-me as forças como nos ardores do verão.
Então eu vos confessei o meu pecado,
e não mais dissimulei a minha culpa.
Disse: "Sim, vou confessar ao Senhor a minha iniquidade".
E vos perdoastes a pena do meu pecado
Assim também todo fiel recorrerá a vós
no momento da necessidade.
Quando transbordarem muitas águas,
elas não chegarão até ele.
Vós sois meu asilo, das angústias me preservareis
e me envolveréis na alegria de minha salvação.

"Vou te ensinar, dizeis, vou te mostrar o caminho que deves seguir;
vou te instruir, fitando em ti os meus olhos:
Não queiras ser sem inteligência como o cavalo, como o muar,
que só ao freio e a rédea submetem seus ímpetos;
de outro modo não se chegam a ti."
São muitos os sofrimentos do ímpio.
Mas quem espera no Senhor, sua misericórdia o envolve.
Ò justos, alegrai-vos e regozijai-vos no Senhor.
Exultai todos vós, retos de coração.

Nenhum comentário: