Google+ Followers

domingo, 12 de abril de 2009

Guarana

Um legado dos antigos

Guaraná, nome dado pelos índios á semente da árvore Paullinia cupana, é um importante legado da civilização aborígene ao bem estar da humanidade. Os índios, em especial os maués, consideram-na planta sagrada.
Quando saiam para as lutas tinham o guaraná como suprimento de guerra. Durante o longo percurso que separavam as aldeias, mastigavam a semente para aumentar sua vitalidade. Pesquisas confirmam que a semente moída de guaraná é fonte de inigualavel de energia , além de ter extraordinárias propriedades terapêuticas. O guaraná é, ainda, um regulador
do ritmo cardíoco e preventivo da arteriosclerose, proporcionando uma velhice sadia.
O Guaranazeiro cresce naturalmente na Amazônia, desde a região ocidental do rio Tapajós até a bacia do Rio Madeira. O guaraná tem ação estimulante , energética, adstringente, afrodisíaco e tônico.
Na totalidade de suas propriedades torna-se um tônico eficaz, recuperando o organismo. Suas pricipais indicações são : como fitotetápico, para esgotamento físico, atua também contra a depressão nervosa, favorece a atividade intelectual, no combate a enxaqueca, no trato gastro-intestinal , como dispepsias
flatulência, e diarréia.



Fonte: Almanaque Renascim/ 1998

Agricultura

Semei-se em solo nativo; acelga, almeirão, cebolinha, cenoura, mostarda, nabo, rabanete. Em caixotes ou abrigos semei-se : beterraba, aipo, couve, couve-flor - repolhos, tomate, alface.

Colhe-se : abóbora, abobrinha, aipo, agrião, alface, beterraba, cenoura, melancia , jiló, pepino, beringela, rabanete, tomate, mandioca, cará, taiá e mandioquinha.

Nenhum comentário: