Google+ Followers

sábado, 11 de julho de 2009

Uma prosa

Sergio Porto assinava nas suas máterias o psedônimo de Stanislaw Ponte Preta ,eram muito interessante as suas crônicas, eis uma 'palinha'.



"Assim como o locutor esportivo jamais chamou nada pelo nome comum , também o reporter policial e um entortado literário.
Nessa classe, os que se prezam nunca chamariam um hospital de hospital. É um nosocômio. E assim sucessivamente. Qualquer cidadão que vai á polícia prestar declarações que possam ajudá-la numa diligência ( apelidos que eles puseram no ato de investigar), é logo apelidado de testemunha-chave.
Suspeito é "Mister X", advogado é causídico; soldado é militar, marinheiro é naval; copeira é doméstica e, conforme esteja deitado a vítima de um crime - de costas ou de barriga para baixo - , fica numa destas duas posições incômodas: decúbito dorsal ou decúbito ventral."

Nenhum comentário: