Google+ Followers

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Willian Von Gogh

O holandês Vincent van Gogh pintou mais de 800 quadros em dez anos de carreira

"A pintura está na minha pele." Era assim que Vincent William van Gogh, um dos maiores pintores do século 19, referia-se a sua paixão. Sua vida foi marcada por crises de loucura e seu trabalho, pelo amor aos pobres. Somente depois de sua morte é que o pintor foi reconhecido. Atualmente o mundo comemora os 150 anos de seu nascimento: vamos conhecer um pouquinho mais sobre ele?

Van Gogh nasceu em Groot-Zundert, na Holanda, a 30 de março de 1853, no dia em que seu irmão de mesmo nome havia falecido no ano anterior.
Quando criança, teve uma educação rígida - seu pai era pastor - e dificuldade em fazer amigos. Aliás, seu único amigo foi o irmão mais novo, Theo, que o sustentou financeiramente nos últimos anos de vida. Aos onze anos, ele deu um desenho ao pai de presente de aniversário, mas nem imaginava que um dia se tornaria um pintor! Aos quinze, foi trabalhar como vendedor numa galeria que negociava objetos de arte.

Em 1873, van Gogh foi transferido para as filiais de Londres e Paris da galeria, mas não estava feliz. Inquieto, resolveu buscar novos caminhos, e decidiu que se tornaria pastor, como o pai. Assim, voltou à Holanda para estudar teologia, mas foi reprovado em 1878. Mesmo assim, partiu para a Bélgica com o objetivo de evangelizar os trabalhadores de uma mineração de carvão.

Nessa época, van Gogh conheceu a extrema pobreza e começou a viver com os pobres: dava dinheiro a eles, tratava de seus ferimentos, visitava os doentes e lia a Bíblia para eles.
Em meio a tudo isso, ele começou a desenhar para expressar o que sentia pelas pessoas. Mas, por achar que as atitudes de van Gogh com relação aos pobres eram exageradamente sentimentais, seus superiores o demitiram.

Logo depois, outro fato desagradável ocorreu a van Gogh: ele tentou suicídio por um amor não correspondido. Refeito desse episódio, mudou-se para Paris em 1886, para morar com Theo, e conheceu pintores como Claude Monet e Auguste Renoir. Na capital francesa, ele pintou mais de duzentos quadros com a ajuda financeira do irmão.

Em 1888, decidiu mudar-se para Arles, no sul da França onde, segundo ele, havia mais cor, mais sol.
Van Gogh convidou seu amigo Paul Gauguin, também pintor, para morar com ele num estúdio batizado de Casa Amarela. Mas os dois não se entenderam! Nas discussões, sempre sobre quadros, van Gogh se irritava porque Gauguin não concordava com ele, e vice-versa!

No dia 23 de dezembro do mesmo ano, Gauguin teve uma briga feia com van Gogh. Antes de sair para dormir num hotel, Gauguin viu van Gogh com uma faca na mão. Na manhã seguinte, soube que ele havia cortado um pedaço de sua própria orelha e a enviado num envelope para uma amiga! Cada vez mais se manifestava a loucura do pintor...

Em maio de 1889, van Gogh pediu a seu irmão que o internasse no hospício de Saint-Rémy, na região de Provença, para tentar recuperar a própria confiança. A única condição que impôs para ficar recluso era poder continuar a pintar, mas a falta de liberdade e de modelos para sua pintura o deixaram inquieto novamente. Com isso, Theo tira o irmão do hospício e pede para o doutor Gachet, um grande amigo dos pintores da época, cuidar de van Gogh.
Gachet (1890), médico que cuidou do pintor em seus últimos meses de vida na casa do médico, na cidade francesa de Auvers, o pintor deslumbrou-se com as paisagens da cidade e voltou a viver mais feliz. Mas a alegria durou pouco. Van Gogh se desentendeu com Gachet, descobriu que o irmão estava com dificuldades financeiras e percebeu que sua loucura era incurável. Um dia, enquanto pintava ao ar livre, deu um tiro no peito.

Quarenta e oito horas depois, a 29 de julho de 1890, morria o grande pintor.

Nenhum comentário: