Google+ Followers

terça-feira, 9 de outubro de 2007

Alfred Nobel

O Prêmio de Nobel foi criado para cumprir uma vontade do químico sueco Alfred Nobel, nascido em Estocolmo, em 21 de outubro de 1833. Principalmente por causa da dinamite, inventada por ele em 1866, Nobel tornou-se um dos homens mais ricos de sua época. Sem herdeiros diretos, ele determinou em testamento que a sua fortuna fosse usada para estimular pesquisas científicas e ações que beneficiassem a humanidade.

A invenção da dinamite se deu depois de muitas pesquisas e tragédias. Tudo começou quando Nobel conheceu, em Paris, o químico italiano Ascanio Sobrero que, por volta de 1855, inventara a nitroglicerina. Apesar de ser uma substância altamente explosiva e instável, Nobel interessou-se por torná-la aplicável. Filho de um bem-sucedido engenheiro, Alfred acreditava que, se aperfeiçoada, a descoberta de Sobrero poderia ser usada na engenharia civil para facilitar a construção de túneis, estradas, canais etc.

Mas até atingir seu objetivo Nobel passou por momentos bastante difíceis. Um experimento realizado em 1864 culminou com a morte de um de seus irmãos, Emil, e de várias outras pessoas, fato que levou as autoridades suecas a proibirem novas experiências com a nitroglicerina em Estocolmo.

Esses episódios, contudo, não desencorajaram o químico. Em 1866, ele descobriu que se misturasse a nitroglicerina com a sílica o perigoso líquido se transformaria numa pasta estável ao ponto de poder ser moldada em barras de tamanho e forma satisfatórios para inserção em buracos previamente perfurados em rochas ou outras estruturas que se desejasse explodir. Nobel patenteou a invenção em 1867, dando-lhe o nome de dinamite.

O produto foi rapidamente aceito pelo mercado e os negócios de Nobel prosperam de tal modo que ele começou a exportar a dinamite para vários países da Europa, América e Austrália. Durante os anos, construiu e manteve fábricas e laboratórios em cerca de 90 cidades de mais de 20 países.

Além da química, Nobel era um amante da literatura, da poesia e falava fluentemente cinco idiomas. Em 10 de dezembro de 1896, vítima de um ataque cardíaco, ele morreu em San Remo, Itália, aos 63 anos de idade. No ano anterior, Nobel havia feito o testamento destinando sua fortuna a premiar iniciativas em prol da humanidade, mas sua última vontade, porém, só pode começar a ser cumprida alguns anos depois, pois parentes do químico e autoridades de países onde ele mantinha investimentos questionaram a legalidade do testamento.

O Prêmio Nobel vem sendo concedido desde 1901. Inicialmente, ele estava dividido nas categorias física, química, medicina, literatura e paz, este último criado para homenagear a Condessa Bertha Kinsky, uma austríaca que durante muitos anos manteve forte amizade com Nobel e que se destacou por liderar campanhas contra as armas. A categoria Ciências Econômicas foi instituída em 1968 pelo Banco da Suécia como uma homenagem ao inventor da dinamite.

O prêmio consiste de uma medalha, um diploma e uma quantia em dinheiro. Cada categoria pode ter no, máximo, três ganhadores que, neste caso, dividem a parte financeira da honraria. Os laureados dos anos anteriores, as academias dos países nórdicos e membros da comunidade acadêmica internacional escolhem os ganhadores. A entrega dos prêmios acontece no aniversário da morte de Nobel.

As informações desta página foram obtidas no site da Fundação Nobel
(
www.nobel.se)

Nenhum comentário: