Google+ Followers

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Propriedades da Pimenta




A pimenta faz bem à saúde e seu consumo é essencial para quem tem enxaqueca. Essa afirmação pode causar surpresa para muitas pessoas que, até hoje, acham que o condimento ardido deve ser evitado,experiências comprovaram esta afirmativa.
A pimenta traz consigo alguns mitos, como por exemplo o de que provoca gastrite, úlcera, pressão alta e até hemorróidas. Nada disso é verdade.
Por incrível que pareça, as pesquisas científicas mostram justamente o oposto! Muitos dos benefícios da pimenta estão sendo investigados neste exato momento, pela comunidade científica e farmacêutica, originando alguns dos projetos de pesquisa mais picantes deste início de terceiro milênio.

A substância química que dá à pimenta o seu caráter ardido é exatamente aquela que possui as propriedades benéficas à saúde. No caso da pimenta-do-reino, o nome da substância é piperina. Na pimenta vermelha, é a capsaicina.

A pimenta-do-reino é uma frutinha do tamanho de uma mini-ervilha, que no início é verde, depois fica vermelha e finalmente preta. A árvore que lhe dá origem recebe o nome científico de Piper nigrum. A colheita se dá enquanto as frutas estão vermelhas. Em seguida elas amadurecem, secam e se transformam nos grãos de pimenta-do-reino preta que existem à venda.
A pimenta-do-reino branca é obtida através da remoção da casca preta da fruta seca. Ambas retêm a piperina, porém a pimenta branca, embora tão picante quanto a preta, possui bem menos aroma.

A pimenta vermelha são frutos de árvores do gênero Capsicum, que possui origem na palavra grega kaptos, que significa morder. Afinal, quando colocamos uma dessas pimentas na boca, até parece que elas mordem, de tão ardidas que são.

As substâncias capsaicina e piperina ardem, mas são estudadas justamente pelas propriedades que possuem!
Surpresa! Elas provocam a liberação de endorfinas, verdadeiras morfinas internas, analgésicos naturais extremamente potentes que o nosso cérebro fabrica! O mecanismo é simples: Assim que você ingere um alimento apimentado, a capsaicina ou a piperina ativam receptores sensíveis na língua e na boca. Esses receptores transmitem ao cérebro uma mensagem primitiva e genérica, de que a sua boca estaria pegando fogo. Tal informação, gera, imediatamente, uma resposta do cérebro no sentido de salvá-lo desse fogo: você começa a salivar, sua face transpira e seu nariz fica úmido, tudo isso no intuito de refrescá-lo. Além disso, embora a pimenta não tenha provocado nenhum dano físico real, seu cérebro, enganado pela informação que sua boca estava pegando fogo, inicia, de pronto, a fabricação de endorfinas, que permanecem um bom tempo no seu organismo, provocando uma sensação de bem-estar, uma euforia, um estado alterado de consciência muito agradável, causado pelo verdadeiro banho de morfina interna do cérebro. E tudo isso sem nenhuma gota de álcool! Quanto mais ardida a pimenta, mais endorfina é produzida! E quanto mais endorfina, menos dor e menos enxaqueca.

E tem mais: as substâncias picantes das pimentas (capsaicina e piperina) melhoram a digestão, estimulando as secreções do estômago. Possuem efeito carminativo (antiflatulência). Estimulam a circulação no estômago, favorecendo a cicatrização de feridas (úlceras), desde que, é claro, outras medidas alimentares e de estilo de vida sejam aplicadas conjuntamente.

Existem cada vez mais estudos demonstrando a potente ação antioxidante (antienvelhecimento) da capsaicina e piperina.

Pesquisas têm demonstrado potentes propriedades antiinflamatórias das pimentas. Um artigo publicado em março de 2003, na revista científica Cell Signalling (volume 15, número 6, páginas 299 a 306), conclui que as substâncias ativas da pimenta são candidatas promissoras para o alívio de doenças inflamatórias.

É importante lembrar que a enxaqueca compreende um estado inflamatório, na sua fase de dor.
Por isso, a dica deste mês é: o que você está esperando para apimentar a sua vida?
A pimenta malagueta, a pimenta dedo-de-moça, assim como outras variedades de cores diferentes mas de formato similar, podem variar muito no grau de ardência na boca. Podem ser consumidas frescas ou secas e moídas. Constituem excelentes fontes de vitaminas A e C, e também combinam com tudo.

Para temperar nossos pratos.
Pimenta-da-jamaica, pimenta rosa, pimenta-vermelha-de-cheiro, pimenta tailandesa, coreana, páprica húngara, portuguesa,dedo-de-moça,pimenta malaguetã...

Dicas



As pimentas mais comuns são:
Malagueta, muito forte, utilizada em peixes e moquecas;
Dedo de moça ou vermelha é ideal para molhos;
Pimenta do reino,
ideal para temperar carnes .

P'ra terminar ,que tal uma receita de peixe?


Peixe da tia Ita

Ingredientes

1 peixe de dois a três kg
(dourado)
1 limão
4 folhas de louro
6 tomates grandes maduros sem pele e sem semente
1 colher de café de 'pimenta-do-reino'
1 molho de salsa e cebolinha - cheiro verde
1 pimentão vermelho
1 cebola média ralada
1 vidro de leite de coco
1 colher de sopa de manteiga
1/2 xícara de chá de azeite de oliva

Modo de fazer:

Limpe o peixe,tempere com limão,louro, pimenta do reino, salsa e cebolinha,
sal e coentro.
Bata no liquidificador os tomates o pimentão,a cebola e o azeite. Num pirex coloque o peixe , besunte com manteiga e o molho batido no liquidificador.
Cubra com folha de alumínio e leve ao forno quente. Quando a carne estiver macia, retire a folha de papel alumínio e acrescente o leite de coco.Deixe dourar.
Sirva com arroz branco.

5 comentários:

roncalli.maranhão disse...

Muito legal essas informações sobre os benefícios da pimenta. Parabéns Lída.
Roncalli Maranhão

Kacike disse...

Muito importante a informação, redigida em uma linguagem simples e esclarecedora.
Parabens

Anônimo disse...

ADORO A PIMENTA MALAGUETA VERMELHA, E A SENSAÇÃO DE ARDOR QUE ELA PRODUZ EM MINHA BOCA, SEJA ELA AO NATURAL OU EM FORMA DE MOLHOS. AGORA COM ESTA SURPREENDENTE INFORMAÇÃO, CONSUMIREI DE FORMA MAIS FREQÜENTE ESTE VALOROSO ALIMENTO FUNCIONAL. PARABÉNS POR ESTA EXCELENTE INFORMAÇÃO!!!

Elis disse...

Tenho sofrido horrores com crises de enxaqueca e até fiquei com vontade de provar desta receita de peixe... mas e o medo da tal da pimenta arder demais???!!! Confesso que sou meio "mole". Tem quer ter coragem pra encarar uma comida mais apimentada... Abraços, Lídia.

MANDAMENTOS disse...

OI Lidia adoro pimenta desde criança , como até com pão . Minha preferencia são as mais ardidas . pimenta sem ardencia não gosto , tenho uma que uso muito , vermelha , pequenina, aprendi um truque para deixa-la muito feroz, colocar no vidro , só com oleo ,tampar , enrolar em pano e coloca-la em lugar no escuro , uma semana.Depois me conte , como ela fica braba !! Beijos !!