Google+ Followers

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Verdi

Nasceu em Roncole, a cinco quilômetros de Busseto (Parma), cidade próxima à Milão, a 10 de outubro de 1813. De família humilde, aprendeu a ler e escrever com um padre da cidade, quando tinha quase dez anos de idade. Seu pai, estalajadeiro de aldeia, percebendo a vocação musical de seu filho, mandou o menino estudar órgão, com o velho Pietro Baistrocchi, organista da igreja local. Mais tarde, com o intuito de aprimorar seus conhecimentos musicais, partiu para Busseto, onde tomou aulas com Provesi, maestro de capela do lugar. Apaixonado por Margherita, a filha do comerciante A.Barezzi que possibilitou-lhe os estudos de música, Verdi foi para Milão apresentar-se no conservatório: queria impressionar a moça e conquistar uma vaga na escola de música.
Seus conhecimentos foram considerados insuficientes e Verdi foi rejeitado. Embora decepcionado, continuou em Milão, trabalhando em V.Lavigna, um teórico e professor musical. Alguns anos depois, voltava a Busseto, convidado a ocupar o cargo de maestro da Filarmônica e organista de São Bartolomeu
Conquistou também o coração de Margherita, com quem se casou em 1836 .Consagrado
como um grande artista politizado e amado pelo seu povo, Verdi passou à outra etapa de sua de sua criação: elaborar personagens.
Com base em textos de William Shakespeare, Victor Hugo e Alexandre Dumas e ajudado pelo roteirista Francesco Piave, Verdi passou a dedicar-se à dramaturgia. Estavam bem balanceados, no trabalho, a semântica sonora, a gesticulação cênica e a expressão facial dos atores.
São desse período as três obras que lhe renderam fama mundial: Rigoletto (1851), O Trovador (1853) e ‘La Traviata’ (1853
Da sua riquíssima obra, as três mais conhecidas representam exatamente o período final de sua talentosa trajetória. São elas: Aida, composta sob encomenda de Ismael Paxá, do governo egípcio, para a abertura do canal de Suez, uma tentativa bem sucedida de realizar Shakespeare na dramaturgia sonora e Falstaff, um texto deliciosamente cômico, baseado em - As alegres comadres de Windsor, que Verdi reservou para tratar no fim da vida.

Giuseppe Fortunino Francesco Verdi
Em 1895, recebeu do rei o título de Marquês de Busseto. No seu testamento, o octagenário deixou sua grande fortuna a uma fundação para ajudar jovens músicos pobres. Verdi morreu em Milão a 27 de janeiro de 1901

Nenhum comentário: