Google+ Followers

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Janeiro de 2013




(imagens do dia 31/12 e 1ºde janeiro de 2013)

Infernal

(Nando Reis)

Eu juro, eu te amo desde que eu nasci
Procuro e não encontro nada igual
Sou surdo e após sua voz ouvir
O mundo que era o meu criado-mudo
Que era onde cabe tudo
Que era certo em ferro e chumbo
Que era reto, enxergo curvo
Porque a era do futuro
Você trouxe para mim infernal
Um sorriso você foi desenhar na palma da mão
O drops Dulcora dissolve e descobre que o paraíso
Estava onde eu achava que não
No céu achava que não e que não
O céu não acaba, achava que era o chão


Nenhum comentário: